CPI da PGR, urgente!

Forças-tarefas do MPF defendem indicação do PGR via lista tríplice

A Procuradoria Geral da República é o gênio do mal, criado pela Constituição de 1988,  que saiu da garrafa para terceirizar o Brasil para os Estados Unidos e ajudar Tio Sam a criar candidato à presidência da República, de modo que terra brazilis vire extensão administrativa e política do império de Tio Sam.  PGR trata dos interesses dela diretamente com o Departamento de Justiça americano. Essa é a essência da Lavajato e Sérgio Moro o personagem criado por ela para dar cabo de Lula, candidato popular brasileiro que teria condições de ganhar eleições se seguir com o programa político petista de empoderamento popular contra o qual o modelo neoliberal luta encarniçadamente, porque seu objetivo é sucatear o Estado nacional. Intercep Brasil demonstra mais uma vez que o jornalismo brasileiro deu uma de avestruz para a tarefa de esconder os fatos que demonstram a destruição da soberania nacional.

 

CPI DA PGR, URGENTE!TUDO DOMINADO NO ANTIESTADO ANTINACIONAL TERCEIRIZADOPELA PROCURADORIA GERALOs ingênuos…

Posted by Cesar Fonseca on Wednesday, July 1, 2020

 

 

Democracia ecológica ataca agronegócio

Deputados verdes da Europa ameaçam obstruir tratado - 02/07/2019 ...

Socialismo contra agronegócio

A vitória eleitoral dos socialistas e ambientalistas cria nova correlação de forças na disputa entre capitalismo x socialismo em plena pandemia do coronavírus. Os franceses, diante da nova realidade mundial, enterram as antisoluções privadas, para adotarem o Estado social, sem o qual não será possível vencer a pandemia. Bolsonaro, que adota, segundo franceses, o antiambientalismo como política oficial, entrou na mira da Europa e, também, dos Estados Unidos. Ambos não querem o Brasil bolsonarista por perto. Temem Bolsonaro, mas, sobretudo, o avanço do agronegócio brasileiro que detona economia europeia, jogando seus produtos no grande concorrente chinês. É a grande briga do século 21.

CORONAVÍRUS EMBALA DEMOCRACIA ECOLÓGICA ANTIBOLSONARISTA ECOCIDANão dá mais para Bolsonaro tocar sua política…

Posted by Cesar Fonseca on Tuesday, June 30, 2020

Brilho de JG na França

Brasília foge de Milão e condena Bolsonaro

Ibaneis cogita dar uma boa caneta para Bolsonaro substituir sua ...

Confronto direto

O governador do Distrito Federal abriu frente de luta contra Bolsonaro, contrário ao isolamento social diante das advertências gerais dos especialistas em saúde. Confronta-se, portanto, com o titular do Planalto, que insiste no enfrentamento da pandemia, desobedecendo as recomendações nacionais e internacionais. Por isso, as mortes aumentam, assustadoramente, dia a dia, no Brasil, e no DF. Julho, que começa essa semana, promete mais desastres e destruição de vidas humanas. Ibaneis chutou o balde, indo contra orientação do presidente, para não ser chutado pelo eleitor quando tiver de enfrentá-lo nas urnas

BRASÍLIA FOGE DE MILÃO E CONDENA BOLSONAROO governador Ibaneis caiu na real. Depois de brigar, durante duas semanas,…

Posted by Cesar Fonseca on Monday, June 29, 2020

Força do Planalto Central do Brasil

Privatização da água põe Ciro entre Brizola e Bolsonaro

Traidor do nacionalismo?

Vargas, Jango e Brizola, os pais do trabalhismo, estão de olho em Ciro Gomes, que herdou o PDT trabalhista-brizolista, para saber o que vai fazer em relação à privatização da água, aprovada, no Congresso, pela direita radical bolsonarista, que ele deseja conquistar.

Á água é o bem mais essencial para garantir a vida da comunidade.

Seu destino ficará com o interesse privado ou predominaria o interesse público?

Toda a estrutura da oferta do líquido divino e maravilhoso dado pela natureza, está ancorada em legislação trabalhista-nacionalista varguista-janguista-brizolista.

A nacionalização da água é decisão histórica que levou à construção, em todos os 27 estados da Federação, de empresas públicas concessionárias para exploração do bem natural finito, como é, também, o petróleo.

Sob ideologia trabalhista, não norteou a exploração desse serviço o lucro privado, mas o interesse público.

Por isso, seu preço, em forma de tarifa, sempre foi flexível, conforme não apenas à lei da oferta e da procura, mas, sobretudo, às condições de vida da maioria da população.

As determinações macroeconômicas, em relação à oferta de água e saneamento à população, renderam-se, sempre, às variáveis, não, apenas, econômicas, mas sociais e políticas.

Quando, em tempos de vacas magras, os salários são vítimas da exploração exagerada da mais valia, sempre os governos deram e dão jeito de flexibilizar políticas de preços para o setor.

Essencialmente, os reajustes das tarifas são maleáveis conforme poder de compra dos salários.

Os neoliberais, no poder, jogam essas regras para o alto, em nome do lucro em primeiro lugar, acima do interesse público.

Como as empresas são públicas, o preço sempre se adequou ao interesse social.

Isso acontecia antes com o preço do petróleo, visando, sobretudo, garantir a competitividade da economia, no plano internacional.

E a Petrobrás nunca arcou prejuízo por agir dessa forma, o mesmo acontecendo com as concessionárias estaduais de água.

Para o agronegócio, por exemplo, a Petrobrás, sob orientação nacionalista, pratica preços do diesel, com vistas à competitividade global, onde o Brasil é líder.

A água, nesse sentido, é mais importante que o petróleo, dada sua universalidade como determinante da sobrevivência humana, que não pode se submeter ao interesse individual, à ganância, à exploração do lucro pelo lucro etc.

Dilema cirista

Ciro Gomes, que quer disputar eleição de 2022 pelo PDT, herdeiro de Brizola e do nacionalismo varguista-janguista, vai romper a regra, para atender o interesse privado?

A tentação em cima dele, para agir nesse sentido, é grande, porque pretende atrair a direita democrática neoliberal, afastando-a do fascismo ultrarradical bolsonarista, para a disputa presidencial.

O preço a pagar para conquistá-la, certamente, está posto na mesa pelos ultraneoliberais, como condição para apoiá-lo:  privatizar a água.

Poderosos grupos internacionais anseiam em comprar, agora, na bacia das almas, as concessionárias de serviços de água e esgotamento, abocanhando estrutura produtiva e ocupacional, pronta e acabada.

Nesse contexto, a classe média vira obstáculo para ele.

Com a economia em frangalhos, tendendo a piorar na fase pós-coronavírus, ela estará completamente proletarizada, no ambiente de queda do PIB de 10% ao ano, com desemprego na casa dos 20% a 25% da população economicamente ativa.

Tal classe média proletária à vista estará, certamente, propensa a ir às ruas contra o ultraneoliberalismo pró-privatização da água e do salário mínimo real de R$ 600, podendo ir à R$ 300, se a economia não reagir à pandemia.

Se o pedetista cearense apoia privatização da água, jogará o custo em cima dessa classe média proletarizada, cujo poder de compra, com a bancarrota neoliberal, está virando pó.

Haverá investidor para jogar de R$ 700 bi a R$ 1 trilhão, no saneamento, básico, como promete o projeto de privatização, aprovado no Congresso, em meio à destruição do poder de compra dos salários?

O dilema de Ciro, então, será o de ou ganhar a classe média, reativa à privatização da água e dos serviços de esgotamento, em geral, negando a privatização, que a prejudica, ou perde-la, se for contra os seus interesses.

Se levantar bandeira bolsonarista, que é o desejo dos privatistas da água, como o senador coca-cola do Ceará, Tasso Jereissati, estará, politicamente, liquidado.

Mais uma vez, naufragaria diante da oposição contra a qual está se indispondo para ganhar a direita liberal, atraindo-a ao centro onde se encontra.

Diante desse imbróglio, pode ser que Ciro vá para Paris pensar.

Pazuelo derrota Bolsonaro e fortalece STF e governadores

Pazuello garante que governo não tem intenção de esconder mortos ...

General político

O balde entornou com as 1.374 mortes pelo coronavírus, nas últimas 24 horas. O general Pazuello colocou em prática política realista e pragmática no Ministério da Saúde, jogando para escanteio as orientações do presidente Bolsonaro que desmoraizaram o governo e aceleraram número de mortes na pandemia. Elas se revelaram totalmente equivocadas e suicidas. por fugirem da lógica da ciência e da ponderação, emanadas, tanto da Saúde quanto a OMS. A política Bolsonaro na Saúde causou escândalo mundial. Pauzello tenta concertar as coisas para salvar a imagem dos militares que avalizam o capitão presidente.

PAZUELLO DEMITE BOLSONARO EFORTALECE STF E GOVERNADORESO general Pazuello demitiu simbolicamente o presidente capitão…

Posted by Cesar Fonseca on Tuesday, June 23, 2020