Lula atrai (P)MDB via Requião

MDB PULA FORA DO BARCO NEOLIBERAL PARA APOIAR CANDIDATURA LULA QUE AVANÇA IRRESISTÍVEL AO PROMETER DESFAZER OS ESTRAGOS QUE O ECONOMICÍDIO NEOLIBERAL GOLPISTA DE TEMER/MEIRELLES PROMOVE, INVIABILIZANDO DESENVOLVIMENTO NACIONAL SUSTENTÁVEL.

Fuga do economicídio

A informação* de que os diretórios regionais do PMDB do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se preparam para apoiar Lula, no dia 24, em Porto Alegre, no julgamento, controvertido, contestado, internacionalmente, do triplex do Guarujá, armação de Moro, para inviabilizar candidatura dele à presidência da República, em 2018, mostra que o ex-presidente implode o PMDB/MDB.

É a comprovação concreta de que o presidente da agremiação, senador Romero Jucá, Roraima, perdeu controle dos seus comandados ou que muita coisa entre o céu e a terra está acontecendo, em vésperas da grande mobilização popular rumo ao Sul maravilha, para solidarizar-se com Lula.

O Sul estaria se unindo ao Nordeste peemedebista.

Os senadores Eunício Oliveira, Ceará, presidente do Congresso, já sinalizou apoio ao ex-presidente.

O mesmo ocorre com o senador Renan Calheiros, peemedebista alagoano.

Ambos não tem chances nenhuma de se reelegerem, se não amarrarem seus interesses políticos eleitorais aos de Lula e a corrente que o anima, colocando-o como favorito indiscutível nas pesquisas de opinião pública.

A marcha unida peemedebista do Sul com a do Nordeste pode influir decisivamente na aliança em Minas Gerais de PT-PMDB, fortalecendo essa corrente lulista que se mostra eleitoralmente irresistível.

A grande mídia, que não cansa de mentir, tentando enganar a população com a lorota de que a aprovação da reforma da Previdência é fundamental para manter o crescimento econômico, que só se vê nos noticiários manipulados que ela coloca no ar, entra em desespero em forma de silêncio, tática para produzir antijornalismo, fugindo da notícia.

Como é largamente conhecido o PMDB não se sustenta, historicamente, em pé sem uma aliança com alguém eleitoralmente viável e não abre mão de fazer a aliança que lhe convém para continuar como poder.

Alinhar-se com quem, agora: PSDB? DEM?

Inviável, derrota certa.

Miragem neoliberal

O racha que o apoio a Lula promove deixa Temer ainda mais isolado, com suas mentiras de que optou pela impopularidade em nome do interesse nacional.

Só ele e a mídia golpista acreditam em tais absurdos, no ambiente do desemprego condenado a expandir-se diante da falta de investimento decorrente da inexistência de expectativas produzidas pelo congelamento neoliberal previsto para durar 20 anos.

Os economistas governistas propagandeiam que o corte de gastos sociais geram poupança para gerar investimentos dos empresários, no compasso do esvaziamento do Estado gastador.

Bafo.

Nem criança cai mais nessa conversa depois que Keynes escreveu que poupança é investimento e investimento é poupança.

Não há separação entre esse binômio que se interage dialeticamente.

Os neoliberais querem transformar o Estado em dona de casa que junta dinheiro debaixo do colchão para fazer seus investimentos, mas esquecem que o Estado só arranja recursos, só arrecada, quando gasta, porque ao gastar cobra imposto sobre o que lançou na circulação.

Assim, é o investimento que puxa a poupança e não o contrário, do ponto de vista do governo/estado/emissor, muito diferente da ação da dona de casa que não pode gerar dinheiro para ter arrecadação de tributos.

O que faz Trump, agora, quando lança nova reforma tributária?

Trump keynesiano

Joga, ao mesmo tempo, 1,4 trilhão de dólares na circulação para bombear indústria de defesa, a partir da qual se movimenta cadeia produtiva que pagará menos impostos, caindo de 35% para 21% , a nova carga tributária sobre os negócios em geral.

A poupança não vem da ação do empresário favorecido pela redução de impostos, mas da ação estatal de irrigar o meio circulante para gerar novos investimentos, com a arrecadação que realiza.

Keynesianismo puro.

Papo neoliberal Temer/Meirelles é furadíssimo.

O engendramento economicida recessivo tocado por Temer/Meirelles, sob ordem o mercado especulativo, não anima a classe produtiva a ir aos investimentos, porque não vê, lá na frente, o que é essencial, o lucro, a eficiência marginal do capital, motor que desperta nele o espírito animal investidor, como diria Keynes.

O PMDB já percebeu a furada que entrou com o modelo neoliberal Temer/Meirelles.

O racha no partido agora, por parte do MDB desenvolvimentista, promovido pelo senador nacionalista Roberto Requião, do Paraná, às véspera do julgamento de Lula, é uma bomba política que desconcerta, totalmente, a direita golpista.

*Bomba! Bomba!

 

PMDB DO RS, PR, SC VÃO DEFENDER LULA NO TRF-4 NO DIA 24