Greve geral vem aí

Os capitalistas só respeitam o trabalhador quando este atua como classe social para si. Enquanto ele age, apenas, como classe em si, inconsciente do seu papel histórico, vai sofrendo, seguidamente, a expropriação violenta da mais valia, o trabalho excedente não pago pelo capitalista que se apropria dele, elevando, seguidamente, sua taxa de lucro. Este entra em parafuso quando o consumo do trabalhador, vítima da expropriação do excedente que sempre produz, no processo de produção, vai se esgotando, seguidamente. Nesse sentido, a acumulação de capital, na produção, sofre baque. O capital, então, sai do processo produtivo e vai para o especulativo, na bolsa, na desregulamentação dos controles de capitais, na sua livre circulação, que desarticula, nas economias periféricas, como as sul-americanas, em geral, a taxa de câmbio, cujas consequências são aumento de dívidas, queda de exportações, desemprego, renda cadente, subconsumismo, destruição de arrecadação, desinvestimento, crise social, luta de classes. O subconsumismo dos trabalhadores está levando os capitalistas, diante do esgotamento da sobreacumulação na esfera especulativa, bursátil, às proposições loucas: rompimento com a democracia, destruição das conquistas sociais, bancarrota do estado do bem estar social. A destruição da Previdência Social e da Legislação trabalhista é isso aí, aprofundamento do subconsumismo, de um lado, e sobreacumulação bárbara de capital, de outro. Contribui diretamente, para esse processo a ilegitimidade do Governo Temer, que radicaliza a exploração capitalista, com a aprovação da terceirização na contratação de trabalhadores. Diante dessa radicalidade bárbara do capitalismo tupiniquim, a resposta das centrais sindicais, que absorveram, já, a concepção do conceito de classe pra si e não apenas em si, no contexto da luta social, é a greve geral. Só ela será capaz de dar um basta à irracionalidade intrínseca à acumulação capitalista, que, em si, destrói a taxa de lucro e lança o sistema capitalista em crises deflacionárias irreversíveis.